Saúde

A doença crônica que pode acompanhar Anitta pro resto da vida; Veja 4 sintomas que a maioria das mulheres ignoram

A doença crônica que pode acompanhar Anitta pro resto da vida; Veja 4 sintomas que a maioria das mulheres ignoram

A cantora Anitta revelou nas redes sociais que recebeu diagnóstico de endometriose, que é uma doença crônica que afeta mulheres em idade reprodutiva.

A artista usou o Twitter para fazer um longo desabafo sobre os últimos nove anos que passou sentindo dores após ter relações sexuais.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 180 milhões de mulheres enfrentam a endometriose, sendo sete milhões apenas no Brasil.

O que é endometriose?

Endometriose caracteriza-se pela presença de endométrio fora do útero.

A doença é causada por uma infecção ou lesão decorrente do acúmulo, em outras partes do corpo, das células que recobrem a parte interna do útero (o endométrio) e que são eliminadas com a menstruação.

Como as chamadas células endometriais são regularmente expelidas junto com o fluxo menstrual, seguem se acumulando fora da cavidade uterina, principalmente nas regiões da bexiga, ovários, tubas uterinas e intestino. Nos casos mais graves, podem formar nódulos que, se não forem tratados a tempo, tendem a afetar o funcionamento de outros órgãos.

Sintomas da endometriose

Além da cólica intensa que, em muitos casos, se torna debilitante, a endometriose costuma estar associada a outros sintomas, como uma dor profunda na vagina ou na pelve, durante a relação sexual, ou a uma dor pélvica contínua, mesmo que não relacionada à menstruação.

Outros sintomas comuns da endometriose são a prisão de ventre ou a diarreia durante o período menstrual e a dor ao evacuar ou urinar.

Diagnóstico de endometriose demora em média sete anos

Apesar da frequência com que acomete mulheres em idade reprodutiva, a endometriose pode demorar a ser diagnosticada: a média estimada de tempo entre o início dos sintomas e o diagnóstico definitivo é de aproximadamente sete anos, segundo documento da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo) de 2021.

Anitta contou que ouviu de diversos médicos que sofria de infecção urinária, mas que tomou todos os cuidados recomendados, sem que a dor parasse.

No caso de Anitta, foram “9 anos de sofrimento” até receber o diagnóstico de endometriose.

“Já tentei de tudo que todos os tipos de médicos falaram. Todas as dicas, conselhos, técnicas que os médicos deram ou do Google. E em nove anos deu foi tempo de eu tentar solução, porém nunca me pediram uma ressonância”, disse Anitta.

A cantora descobriu o diagnóstico recentemente, quando foi ao hospital acompanhar o pai, que tratou um câncer no pulmão após sofrer um AVC e passou por uma cirurgia em junho. Na ocasião, Anitta comentou com a médica sobre as fortes dores que enfrentava e passou por uma ressonância magnética que detectou a endometriose.

“Pesquisem, galera. A endometriose é muito comum entre as mulheres. Tem vários efeitos colaterais, em cada corpo de um jeito. Pode se estender até a bexiga e causar dores terríveis ao urinar. Existem vários tratamentos. O meu terá de ser cirurgia”, disse Anitta, que também criticou a falta de informação que as mulheres enfrentam.

Tratamentos da endometriose

Estão disponíveis no Sistema Único de Saúde (SUS) dois tipos de tratamento para endometriose.

O tratamento clínico visa neutralizar o estímulo hormonal estrogênico nos focos de endometriose, proporcionando melhora nos sintomas da doença, associado a medicamentos para o controle da dor. Em pacientes que não desejam engravidar, contraceptivos hormonais são utilizados.

Já o tratamento cirúrgico é indicado quando os sintomas são graves, incapacitantes, quando não houver melhora com tratamento empírico com contraceptivos orais ou progestágenos, em alguns casos de endometriomas, de distorção da anatomia das estruturas pélvicas, de aderências, de obstrução do trato intestinal ou urinário, e para pacientes com infertilidade associada à endometriose.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo