Política

Após ser atacado por Lula ao vivo, BOLSONARO se cansa e ‘parte para cima’ do ex-presidente; Veja vídeo

Após ser atacado por Lula ao vivo, BOLSONARO se cansa e ‘parte para cima’ do ex-presidente; Veja vídeo

Recentemente todos os candidatos à presidência foram convidados a participar do primeiro debate pouco antes das eleições, que ocorreu na noite de ontem domingo (28/08), de início Jair Bolsonaro iniciou abrindo as perguntando falando sobre Lula. O evento foi coberto pela empresas de comunicação TV Cultura, Band, Folha de S. Paulo e portal Uol.

No debate, os alvos de todos os candidatos foram Jair Bolsonaro (PL) e Luis Inácio Lula da Silva (PT), onde foram atacados por todos. Porém, no ao vivo, o mais atacado foi Jair Bolsonaro, principalmente por Lula, onde o ex-presidente chegou a citar a doença que matou milhares pessoas, onde Lula citou o assunto criticando uma fala de Jair Bolsonaro, onde o próprio teria dado risada da doença.

Por sua vez, Bolsonaro publicou em sua conta oficial do Twitter uma reposta ao ex-presidente, chamando de “ex-presidiário”, contando que “não tem moral” para citar o assunto.

“Fui talvez o único líder que teve coragem de ser contra o fecha tudo irresponsável, de combater vírus e desemprego simultaneamente, de alertar para os riscos de depressão e suicídio pelo isolamento, enquanto covardes tomavam medidas irracionais para ganhar elogios da imprensa.”, publicou o atual presidente, com um vídeo abaixo.

Um dos assuntos falado no debate, foi sobre um assalto que o presidente Jair Bolsonaro (PL) acabou sofrendo em 1995. O assunto foi citado por Ciro Gomes (PDT), onde levantou o tema sobre o porte de armas. O candidato citou o assunto onde os criminosos tentaram levar a arma e a moto do presidente. O capitão era deputado federal na época, e contou à imprensa que mesmo estando armado, ainda estava indefeso.

O jornalista da TV Cultura, Leão Serva, questionou sobre os decretos do governo federal, onde liberou a circulação de algumas armas e munições no país, o candidato do PDT contou que a arma só iria servir para matar.

“É excepcional o caso em que se mata em legítima defesa. O presidente Bolsonaro, militar treinado, foi assaltado pelo fator surpresa no Rio de Janeiro numa motocicleta, e o bandido levou a arma dele. Percebe? Com essa arma, deve ter assaltado muito mais outras pessoas.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo