Política

Campanha de Jair Bolsonaro recebe má notícia, e colunista aponta desanimo na reta final da campanha à reeleição

Presidente Jair Bolsonaro (PL) segue com alta rejeição e isso dificulta tentativa de reeleição.

Jair Bolsonaro (PL) é candidato à reeleição e tentará ser escolhido pelo povo para um novo mandato de quatro anos. O atual presidente foi eleito em 2018 e governará até 31 de dezembro deste ano, independente do resultado da eleição do dia 2 de outubro.

A pesquisa Datafolha divulgada nesta quinta-feira (23) mostrou que Bolsonaro está consolidado na segunda posição. O atual presidente aparece com 33% da intenção de votos. Luiz Inácio Lula da Silva (PT) lidera com 47% dos votos. Na última pesquisa, o petista tinha 45%.

Enquanto Lula cresceu dois pontos, Bolsonaro se manteve estagnado. De acordo com o jornalista Gerson Camarotti, do Grupo Globo, a campanha de Bolsonaro recebeu uma má notícia com os dados da rejeição aos candidatos. Bolsonaro é rejeitado por 52% dos eleitores.

Segundo o jornalista, o clima de desânimo tomou conta da campanha de Bolsonaro. O presidente é apontado internamente como culpado pela rejeição que dificulta a vitória nas eleições. O analista informou que atitudes recentes aumentaram a rejeição ao presidente.

A atitude de Bolsonaro com a jornalista Vera Magalhães no debate exibido pela Band repercutiu mal. Os atos de 7 de Setembro, usados por Bolsonaro para fazer campanha política, também pegaram mal. De cima de um palanque, o presidenciável puxou o coro “imbrochável” para si mesmo.

O motivo principal para a rejeição, porém, seria a atitude de Bolsonaro de colocar o sistema eleitoral brasileiro em xeque enquanto esteve em Londres para acompanhar o funeral da rainha Elizabeth II. As eleições acontecem no dia 2 de outubro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo