CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
TV & Famosos

Morre aos 74 anos, nosso querido ator Pedro Paulo; Entenda o que aconteceu.

Morre aos 74 anos, nosso querido ator Pedro Paulo; Entenda o que aconteceu.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O ator Pedro Paulo Rangel estava internado desde o dia 30 de outubro na Casa de Saúde São José, no Rio de Janeiro, mas acabou morrendo na madrugada desta quarta-feira, aos 74 anos, segundo a assessoria de imprensa do hospital. Morre aos 74 anos, nosso querido ator Pedro Paulo; Entenda o que aconteceu.

Pedro Paulo fumou até 1998. Quando há 20 anos atrás recebeu o diagnóstico de doença obstrutiva pulmonar crônica, mais conhecida como enfisema. A DPOC é progressiva e não tem cura, no entanto, Rangel conseguiu controlar seu avanço, utilizando remédios e fisioterapia. Pedro não conseguia caminhar por muitos metros, mas disse que se movimentava perfeitamente no palco.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Pedro Paulo Rangel nasceu em 29 de junho de 1948, no Rio de Janeiro. O interesse de Pedro pelo teatro surgiu aos 11 anos e o levou a participar de peças infantis e amadoras durante toda a adolescência.

Sua estreia como ator ocorreu em São Paulo, em 1968, na peça Roda Viva, de Chico Buarque. A peça era derivada da canção do mesmo nome. Ao se mudar para a capital paulista, ele ainda atuou em “Galileu Galilei”, de Bertold Brecht, sob a direção de José Celso Martínez Correa, e “Romeu e Julieta”, de Shakespeare, com Jô Soares como diretor, em 1969.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Em 1972 o ator estreou na Globo, na novela “Bicho do Mato”. e fez o primeiro nu masculino da TV brasileira em “Gabriela”, em 1975. Seu personagem, Juca, e a amante, Chiquinha, vivida por Cidinha Milan, eram jogados nus no meio da rua depois de serem flagrados pelo marido dela. O enquadramento distante permitiu que a cena fosse liberada pela censura.

Pedro Paulo ganhou seu primeiro prêmio Molière de melhor ator de teatro em 1982, por “A Aurora da Minha Vida”, de Naum Alves de Sousa. Ainda receberia mais dois -em 1989, por “Machado em Cena – Um Sarau Carioca”, de Luís Lima, e em 1994, por “O Sermão da Quarta-Feira de Cinzas”, de Moacir Chaves, um monólogo em que interpretava o padre Antonio Vieira e que e também rendeu a ele os prêmios Shell e Mambembe.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo